Divisão de Bens por Tempo de Casamento

Divisão de Bens por Tempo de Casamento

Divisão de Bens por Tempo de CasamentoMuitos não sabem, mas, tratando-se da separação de casais, sem dúvidas, esta é uma das situações mais constantes que a cada dia contagia mais e mais a vida dos casais que se julgam, não mais felizes estando juntos.

A Divisão de Bens

Hoje em dia, sem dúvidas, muitos já começam um relacionamento conturbado e já pensando em divórcio, algo mais do que triste se for pensarmos bem, ou seja, o casamento, sem dúvidas, é um ato de fé e amor, não apenas uma situação na qual basta que você use alianças e acabe com tudo à seguir.

publicidade:

É muito complicado, uma pessoa começar uma relação e logo em seguida ir atrás de seu divórcio, onde será que foi parar o romantismo. Após se separar, muitos já ficam de olho nos bens que terão que dividir.

Planejar uma união significa estruturá-la, pensando no futuro e, sobretudo, no conforto e segurança dos cônjuges, durante e após o relacionamento, caso algo inesperado aconteça, enfim, conhecido não só como divisão de bens, o regime de bens por sua definição, é o conjunto de determinações legais ou convencionais que regem as relações patrimoniais entre o casal, enquanto durar o casamento.

publicidade:

http://youtu.be/lQRve3NP4EE

Se não conhecem ou nunca ouviram falar, a divisão de bens funciona de tal maneira, é algo que determina o que será feito dos bens do casal em caso de separação ou morte de um dos cônjuges. Conheça abaixo os regimes existentes no País e as principais diferenças entre eles:

Mais detalhes

Existe a Comunhão Parcial de Bens, algo que se denomina como o regime padrão, em que todo o patrimônio adquirido após o casamento, de forma onerosa (que envolve dinheiro), é do casal (exceto bens adquiridos por doação, herança ou legado).

Em relação ao Caso da Separação, cada pessoa tem o direito ao patrimônio pessoal (aquele existente antes do casamento), mais meação (metade dos bens adquiridos durante o casamento).

A Comunhão Universal também existe para quem não sabe, enfim, ela é como se fosse o regime padrão, algo definido atualmente  em pacto antenupcial, onde indica que todos os bens do casal, independente de serem adquiridos antes ou depois do casamento, são do casal. Em caso de separação, fica 50% para cada um.

No caso da Separação Total de bens, é o seguinte, funciona da forma em que o pacto antenupcial (ou, em casos especiais, obrigado por lei), indica que não há comunhão: cada cônjuge conserva a propriedade de seus bens particulares presentes e futuros, por fim, se caso haja a separação definitiva do casal, cada um deles pode fica com o próprio patrimônio.

Vamos deixar mais uma última informação aqui, no caso da  chamada União Estável, não há casamento, mas, sim, convivência, e independentemente de tempo, basta que seja público, contínuo, duradouro e com o objetivo de constituir família, por fim, se você ainda não sabe o que realmente quer em relação ao seu casamento, acha que não está indo bem, pense dez vezes antes de tomar alguma atitude que não trará bons resultados. Confira tudo sobre a relação de casamento e separação no site – (br.finanzaspracticas.com).

publicidade:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *