O fim do uso de sacolinhas gera desemprego em SP

O fim do uso de sacolinhas gera desemprego em SP

Fim do uso de sacolinhas
Depois do acordo que bane o uso de sacolinhas, muitas pessoas podem perder o emprego, principalmente em Barueri.

Depois do dia 25 de janeiro de 2012, alguns supermercados de São Paulo vão adotar uma medida que está sendo bastante contestada: o fim do uso de sacolinhas. Segundo as informações divulgadas em diversos veículos de comunicação, o projeto “Vamos tirar o planeta do sufoco” é uma iniciativa resultante da parceria entre a Associação Paulista dos Supermercados (Apas) e o governo do estado de São Paulo que procura diminuir consideravelmente o impacto do uso de plásticos no meio ambiente.

Apesar da sua importância no âmbito da sustentabilidade, muitos donos de empresa não estão nada felizes com esse acordo, que foi realizado por cerca de 80% dos supermercados em São Paulo.  De acordo com os fabricantes, o fim do uso das sacolinhas plásticas vai gerar muito desemprego no estado.

publicidade:

Entenda o caso

Desde o ano passado quando muitas pessoas estavam falando sobre a possibilidade do fim das famosas sacolinhas de supermercados, o comércio de embalagens plásticas suspendeu as suas compras já que eles trabalham com estoques. Segundo as informações fornecidas pela Associação Brasileira da Indústria de Embalagens Plásticas Flexíveis (Abief), a cidade de Barueri deve ser um dos lugares que mais devem ser mais afetados.

De acordo com a associação, o município tem 23 produtores de sacolinhas, que geram cerca de 900 empregos de forma direta e mais de 3 mil indiretas. Por conta do acordo, muitas empresas vão ter que diminuir a sua produção e isso vai causar uma série de acontecimentos, como a demissão de muitas pessoas. Em entrevista para a Folha Aphaville Online, o proprietário da Dayana Plast, Matusalem Lacarini, que é considerada pequena no setor, disse que não terá outra alternativa a não ser fechar as portas do empresa, que atualmente emprega 45 pessoas.

publicidade:
publicidade:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *